Um Dia de Cada Vez

Já lá vão mais de cem escritos desde Novembro do ano passado. Um por dia, foi o que me comprometi, e apenas duas vezes (ou terá sido uma só?) falhei.

Este espaço não é surdo aos vossos comentários. A pedido dos leitores (ou, verdade seja dita, da leitora, mas às vezes uma pessoa diz o que muitos estão a pensar; espero que seja esse o caso) agora há um arquivo, que podem usar para explorar o blog dia-a-dia.

Podem encontrá-lo já ali na barra de navegação à vossa esquerda, a pedir pelos vossos cliques.

(Sim, há dias em branco, mas meramente porque publiquei depois da meia-noite; o dia seguinte terá dois escritos.)

Obrigado pelas vossas visitas, pela vossa atenção.

Pintura: “O Panteão na Carruagem de Apolo” por Nicolas Bertin