O Preço dos Valores

O valor material das coisas não está só associado à utilidade ou à emoção. A nossa intuição do que é certo ou errado também tem um peso.

Se alguém nos roubar e exigir dinheiro em troca do objecto roubado, é normal recusar, preferir ficar sem o objecto em questão.

Mas se alguém nos trouxer o mesmo objecto, depois de o termos perdido, somos bem capazes de oferecer uma recompensa a quem o achou.

O objecto é o mesmo, tem o mesmo valor material e emocional. 

O que ditou a diferença foi o valor que associamos à acção do terceiro.

Vale a pena perguntar: estamos a prestar a mesma atenção às transacções que fazemos no dia-a-dia? 

Estamos informados em relação às posições éticas das empresas a quem compramos coisas?

Pintura: “Creso Exibe os Seus Tesouros Perante Sólon” por Frans II Francken