A Prenda Mais Importante Que Podem Oferecer Hoje

Às vezes, vale a pena fazer as coisas que gostamos.

Quando descobri que o Felipe Pepe estava a recrutar voluntários para o ajudar a criar um compêndio da história dos RPGs de computador ( odeio a tradução directa, portanto, para os menos familiares, adianto apenas que a sigla significa “Role-Playing Games”, e fiquemo-nos por aí) soube imediatamente que queria participar.

Nunca imaginei que um dia, esse meu trabalho visse a ser parte de um livro em papel, e muito menos um livro cujos lucros do autor fossem 100% concedidos à caridade – neste caso, à instituição Vocação, que dá formação e encontra emprego para os jovens nas áreas mais desfavorecidas do Brasil. 

Mas assim aconteceu. Podem encomendá-lo aqui, e façam-no sabendo que uma vez feita a primeira impressão, acabou-se. É uma tiragem única e limitada.

Só posso agradecer ao Filipe em triplicado:

Obrigado por ter engendrado um projecto tão apaixonante.

Obrigado por ter suportado os meus atrasos e editado as minhas palavras para melhor.

Obrigado por ter encontrado e tomado a oportunidade de usar esse trabalho para melhorar o mundo.

Nem sempre os video jogos são um desperdício de tempo.

Inércia

As duas coisas mais valiosas no marketing moderno são permissão e atenção.

Se conseguirmos agarrar a atenção de alguém por tempo suficiente e formular uma razão suficientemente sólida para que essa pessoa nos forneça seu precioso endereço de e-mail – permitindo-nos entrar no espaço quase sagrado e privado de sua caixa de entrada – isso é uma grande vitória. Essas pessoas demonstraram interesse no que estamos a vender, e até fizeram o esforço para conectar connosco.

Se, então, deixarmos de fazer a venda, isso significa que estamos a fazer a promessa errada, ou que estamos a entregar um valor abaixo do esperado. As pessoas estão a convidar-nos para entrar na sua casa digital, abriram-nos a porta, e nós entramos e sentamo-nos na sala de estar, onde ou ficamos calados, ou dizemos disparates.

Isso é um desrespeito para com as pessoas nos confiaram a sua permissão, e um desperdício das nossas capacidades e oportunidades.

O maior obstáculo à venda é a inércia. É fácil e natural não fazer nada. Ficar parado. Não tomar nenhuma ação.

Esse é o estado dos 1.000.000 visitantes que chegam à vossa página todos os dias. Conseguir que até 1% deles aja, que nos dê permissão, isso é bom. Pode melhorar, mas mesmo assim, é bom.

Mas e se depois disso, só conseguimos que o produto seja adoptado por 1% dos 1% que tomaram acção, que nos deram permissão?

Isso é uma tragédia. Podemos fazer melhor.

Pintura: “Mercúrio e Herse” por Jan van Boeckhorst

Alta Definição

Meditar não é buscar um estado mental ou físico sublime. Meditar pode conduzir a isso – especialmente na vertente de exercício de respiração – mas não é esse o propósito da meditação.

O propósito da práctica de meditação é, em primeiro lugar, notar os filtros que aplicamos à nossa vida, à nossa percepção. Filtros que cobrem toda a nossa experiência sensorial constantemente, e que são invisíveis a menos que:

  1. Aprendamos acerca da sua existência.
  2. Treinemos a concentração necessária para os detectar.

Usamos óculos para ver com mais clareza. Compramos televisores maiores para melhor apreciar a arte da cinematografia ou do desporto. Usamos auscultadores de melhor qualidade para apreciar com mais definição o som do instrumento e a voz do cantor.

Nenhuma destas experiências, por refinadas que se tornem, nos conseguem levar ao mesmo sítio que a meditação nos leva. 

Mas a meditação, uma vez chegado a determinado patamar, clareia a nossa experiência de todas estas coisas – e de tudo o resto.

Escritor. Marketer. Dentista. Gamer.