Tag Archives: Hemingway

O Mundo Quebra-Nos A Todos

“O mundo quebra-nos a todos, e depois, muitos ficam mais fortes nos sítios quebrados. Mas aqueles que não quebra, mata.”, escreveu Hemingway. 

(Tradução minha, não oficial. Gosto do verbo “quebrar” mais do que “partir,” ou outras palavras mais apropriadas para o Português, mas menos tácteis.)

Vi muitas pessoas “quebradas” nos últimos anos. E sim, a maioria fica mais forte nos sítios quebrados. Não digo que o fortalecimento compensa o que se perdeu, isso é demasiado optimista e ingénuo. O saldo nem sempre é positivo. Mas não é completamente negativo.

Mais interessante para mim é a diferença entre as que se fortalecem, e as que não se fortalecem.

As que se fortalecem atribuem-no a uma decisão. A determinado ponto, decidiram que iam continuar com a sua vida, independentemente das coisas horríveis que lhes tivessem acontecido. 

Não decidiram que não ia doer, ou que ia deixar de fazer falta. Isso está fora do nosso alcance. Decidiram que iam avançar, na mesma, com a dor e a mágoa e a dificuldade que tivessem que levar com eles.

Os que não se fortalecem não o atribuem a uma decisão. Atribuem-no a uma característica. Dizem que gostariam, mas que não têm a força, a inteligência, ou os genes para o fazer.

Não sou uma pessoa optimista, por natureza. A minha educação é científica, e a ciência é determinista. Há, realmente, um nível base de talento, de inteligência, de capacidade com que cada um nasce. 

(Ninguém gosta de ouvir isto, muito menos os cientistas que o provaram e continuam a provar vezes sem conta, mas ainda assim, é isso que descobrimos.)

Mas a verdade é que a base é a base, e há sempre espaço de manobra. Uns podem ter mais espaço de manobra do que outros, mas no final de contas, os que vi ficarem mais fortes foram os que tomaram a decisão de seguir em frente com o que tinham – por quebrados que estivessem.

O mundo vai quebrar-te. Quebra-nos a todos. Vais ser o tipo de pessoa que toma uma decisão, ou que se desculpa com uma característica?