Arquivo da Categoria: Aleatório

O Primeiro Dia Do Ano

Haverão outros dias para deixar aqui textos na senda do que se tornou o estilo habitual – e quiçá, com algumas experiências à mistura.

Mas neste primeiro dia do ano, quero usar este espaço para vos agradecer, a vós que aqui vêm ler, ou que subscreveram a lista de email, ou que seguem no Facebook ou no Twitter.

Obrigado.

A Passagem do Tempo

Li este ano (não me lembro em que livro) que nos devemos comparar não com o que outros são hoje, mas com quem fomos ontem.

É um bom conselho. A mensagem: não importa onde estamos, desde que estejamos a melhorar.

Mas mesmo por essa métrica, há duas datas que me custam, todos os anos. São o meu dia de anos, e a passagem de ano.

Se calhar falta-me humildade. Mas não consigo olhar para a pessoa que era o ano passado, e ficar satisfeito com quem sou hoje. Mesmo observando que estou num sítio melhor, que houve progresso – nunca é o progresso que quero. Sou um constante insatisfeito. Sinto sempre que podia ter feito melhor.

Não tenho grande lição moral a tirar disto. Prometi a mim mesmo que escreveria algo hoje, e estou a cumprir essa promessa. Se o leitor sofre do mesmo mal, lamento, mas não tenho solução.

Se lhe servir de alguma coisa, saiba que não está só.

BI Felino

É comum as pessoas deixarem os gatos sair à rua. São animais independentes e, regra geral, sabem cuidar de si. Mas ocasionalmente perdem-se – por exemplo, por se assustarem com algum barulho e correrem para um sítio que não conhecem.

Hoje encontrei na minha caminhada uma gata que nunca tinha visto. É difícil saber o que fazer nestas situações. Por um lado, não queria cair no engano de levar para casa um animal que se calhar pertencia a alguém, e estava só a dar uma volta. Por outro, não queria correr o risco deixar ao frio e no meio da estrada um animal perdido – que, pelo seu aspecto e bom trato, claramente não era vadio.

Acabei por trazer a gata para casa, porque ela me seguiu e não parava de me pedir colo, o que me levou a aceitar que ou estava perdida ou tinha sido abandonada. 

Mas não consigo deixar de pensar como teria sido útil o dono ter colocado uma coleira na gata. Sim, eles não gostam muito ao início, mas logo se habituam; e no caso do animal um dia ser perder, é uma boa maneira de nos ajudar a ajudá-lo.

Pessoal, espalhem a ideia: as coleiras não são só para os cães.