Não Sou o Teu Guru

Hoje isto vai ser uma recomendação curta – o documentário “Not Your Guru,” que retrata a experiência de participar no maior evento do catálogo de desenvolvimento pessoal de Tony Robbins.

Faço esta recomendação porque sei que muitos dos meus amigos e colegas são cépticos em relação ao mundo do coaching e do desenvolvimento pessoal. E eu compreendo isso. 

A verdade é que o mundo do coaching tem um custo de entrada que é virtualmente zero, e portanto atraí muitas pessoas sem qualquer talento, preparação, zelo ou mesmo vontade de trabalhar, que sentem que o seu carisma pessoal e ego inflacionado é suficiente para ajudar pessoas com problemas a sério. 

Eu já treinei para ser coach, já fiz cursos, e vejo bem o calibre de pessoas que a área atrai. É assustador.

Mas há um par de coisas que colocam o Tony Robbins à parte:

  1. Eu leio muitas biografias e entrevistas com pessoas famosas e bem sucedidas, e uma percentagem significante destas atribuíu parte do seu sucesso aos livros / programas / eventos do Tony Robbins. Isso não pode ser coincidência.
  2. Eu mesmo experimentei (mas nunca concluí) alguns dos programas dele, e fiquei impressionado com a qualidade de alguns dos exercícios e ferramentas linguísticas.

Acho que o documentário não é perfeito. Por um lado, foca-se muito nas intervenções que Robbins faz a utilizar o seu próprio método de psicologia caseira explosiva, em detrimento dos exercícios e ferramentas que vão trazer os verdadeiros resultados à maioria das pessoas.  Acho que essas coisas seriam melhor tratadas por um terapeuta licenciado, e acho um bocado manhoso quando coaches se põem a fazê-lo.

E por outro lado – e ironicamente, tendo em conta o título – às vezes dá a impressão que as pessoas estão quase a ser parte de um culto religioso.

Mas acho que é uma boa forma para os céticos verem que há uma certa energia, um certo método no trabalho do homem, que poderá valer a pena explorar.