Reversão

Adoro fazer entrevistas. Não é a minha arte de eleição – não é escrever – mas é muito divertido, conversar com pessoas inteligentes, que têm coisas únicas para ensinar.

Mas na minha última entrevista, perdi o controlo. De repente, começou o meu hóspede a fazer-me perguntas a mim. Não de forma conflituosa – apenas por curiosidade.

Tento que todas as minhas entrevistas sejam conversacionais, não apenas uma sequência de perguntas pré-determinadas. Mas isto foi diferente. Acho que revelou que o meu hóspede é uma pessoa com uma capacidade incomum para empatia.

O melhor é ouvir. Mas às vezes sabe bem encontrar alguém que quer, genuinamente, nos ouvir.