Qualidade I

Napoleão dizia (poderá ser um apócrifo)  que a quantidade tinha uma qualidade em si mesma.

Isto faz sentido na arte da guerra. Nem sempre o vencedor é o que tem mais carne para canhão. Mas ajuda. 

Mas não na vida, não tanto. 

A nossa vida é uma série de consumos: de emoções, de comida, de livros, de filmes, de tudo o que é arte, e prazer terreno, e estimulação intelectual.

É melhor ser a pessoa que tem todas as horas da sua via preenchidas por uma procissão interminável de experiências ensossas?  Ou aquele que disfruta, durante largos trechos de tempo, de experiências de alta qualidade?

O relógio não pára. Decide o que preferes.