Por Coroar

Não obstante o que possas pensar ou sentir acerca das leis, geralmente há uma razão pela qual elas são como são.  Talvez tenham ultrapassado o seu propósito original, ou se tornado demasiado rígidas, insustentáveis – não importa, ainda são parte do contrato social.

O que se deve fazer, então, é protestar contra as leis que se consideram injustas, ao mesmo tempo que se as respeitam.

Se vives num lugar onde as leis não podem ser discutidas, mesmo por aqueles que as respeitam, então vives numa tirania. Mas, se usas isso como uma desculpa para violar a lei, estás errado – se te importas mais com o resultado do que com os meios, és um radical.

E um radical é apenas um tirano sem uma coroa.

A Internet Selvagem

A internet costumava ser como o Oeste Selvagem – um mundo prenhe de possibilidades, mas sobretudo, de liberdade. 

O preço a pagar por essa liberdade era que, por vezes, aconteciam coisas más. Era mais fácil viver-se como um fora-da-lei nesse mundo; era mais fácil  ser um predar nos mais fracos, nos mais vulneráveis. E por isso, o oeste foi sendo domado.

Mas a semelhança acaba aí. As “autoridades” da internet – em muitos casos companhias privadas – não estão concentradas em tornar a internet num lugar mais seguro. Praticar o crime na internet continua a ser quase tão fácil como era há 10 anos.

O que é muito mais difícil é trocar ideias. Ou fazer comédia. Ou mesmo ser ofensivo e mal-educado (mas não violento) só porque nos apetece.

Sabemos que o rei é mau quando a primeira pessoa a ser executada é o bobo da corte.