Estações

É fácil ser-se cínico em relação ao Natal. É fácil dizer que o espírito de família, de generosidade e fraternidade nos devia acompanhar o ano todo. E argumentar que não há razão para esses valores virem ao de cima nesta data específica.

Mas pensar assim é assumir o ser humano como um ser puramente lógico. Nós não funcionamos assim. Nem se trata apenas de sermos geridos por emoção; somos seres de emoção volátil. Por muito que reconheçamos estes valores como desejados, não os conseguimos assumir de forma permanente.

É a nossa natureza; somos criaturas de estações.