Practicar por Diversão

É bom estar sempre a praticar, praticar todos os dias, mas que não seja sempre trabalho. O artesão mantém suas ferramentas afiadas, divertindo-se. 

Leva isto em conta na tua própria arte – volta a divertir-te com ela, em vez de o fazeres constantemente por responsabilidade e em prol de grandes projetos. 

A tua arte pode ser séria e divertida ao mesmo tempo, e de facto deve ser, se ambicionas atingir qualquer nível significativo de habilidade.

“Brincar” é uma forma de conhecer melhor e ganhar prática com as ferramentas do ofício.

Mostrar Trabalho

Humildade não é o mesmo que viver nas sombras.

É trágico quando alguém esconde o seu bom trabalho. Os olhos do mundo não estão sobre nós. Toda a gente está a olhar para o seu umbigo. Se não lhes chamamos a atenção, não vão olhar para o que fizemos. O patrão não tem tempo para ver o que funciona, o que corre bem – é o que não está bem que afunda o negócio. 

Não é preciso ser arrogante. Não é preciso ser convencido. Não é preciso procurar protagonismo.

É preciso mostrar o trabalho. O valor – ou falta dele – que os outros lhe atribuam. Mas há que o mostrar.