Cuidado com o conhecimento que não conquistaste

Ele tinha merecido o conhecimento, golpe de espada a golpe de espada, feitiço a feitiço, conquista a conquista. Não era algo que tivesse herdado, algo que visse como seu direito por nascença.

Era algo que ele entendia, e isso separava-o dos jovens príncipes Mogu que observavam o seu domínio. Como ele entendia o conceito, conseguia aplicá-lo. Sentia-o como os movimentos das marés. Já eles olhavam de cima, viam o que queriam ver, ouviam o que queriam ouvir.

— Shadows of the Horde por Michael Stackpole

É esta a diferença entre possuir algo e conquistá-lo. O que é recebido de mão-beijada raramente é valorizado, não por desrespeito, mas por ignorância.

Aqueles que conquistam as coisas conhecem a sua complexidade.

Coisas Começam a Despertar

O teu pai pouco te ensinou, criança. Tens vivido nesta ilha, ignorante ao mundo para lá do mar e ao que se passa nele. Mas há coisas a acordar para lá do Sol nascente, coisas que começaram a despertar antes mesmo de teres nascido, e que cada vez mais se rebolam, se mexem, como tu por vezes demoras a sair da cama, a largar o sono preguiçoso. 

Mas estes seres – monstros, espíritos, criaturas, deuses, o que lhes queiras chamar – estes seres dormiram durante gerações, e o seu despertar foi lento. Foi lento, mas está a chegar a vias de facto. E nós, pobres, pequenos, frágeis humanos… Nós vamos ter que aprender a viver neste mundo novo.”

— As palavras da hermita Treia no despontar do último ano do Gelo Negro, conforme registadas no diário de Helena, a primera Arqui-feiticeira.