Mais Vale Ter Um Plano Mau Do Que Não Ter Nenhum

Quando o mundo rui à nossa volta, é complicado encontrar tempo ou presença de espírito para elaborar até mesmo um plano rudimentar. Se, em tal circunstância, te encontrares armada com um plano mau, isso já te dá um bom avanço em relação à versão de ti que não tem plano nenhum.

Pensa em coisas que teriam um impacto negativo na tua vida, um impacto grande suficiente que te retirasse a capacidade de lidar com elas nesse momento, até durante vários dias. Exemplos de coisas que tendem a deixar as pessoas desorientadas:

— Morte ( de uma criança, de um pai, de um esposo(a) )
— Perda de emprego / falência económica ( nossa, de um familiar próximo, do companheiro, etc)
— Doença ou um acidente sério que resulte em incapacidade

Pode ser um exercício sombrio, mas ponderar estas situações não tem que te deprimir. Pelo contrário, o paradoxo da preparação é que considerar situações más e planear a nossa reacção tende a diminuir a nossa ansiedade em relação às mesmas.

Claro, não te deixes consumir pela visualização das situações, nem planeies obsessivamente. Nunca existe preparação suficiente perante acontecimentos tão dramáticos, e perseguir esse ideal é uma demanda fadada ao fracasso.

O essencial é compreender que mais vale ter um plano mau do que não ter plano nenhum. A menos que seja óbvio que há grande probabilidade do temido evento acontecer a curto prazo, contenta-te em saber qual seria o tem primeiro passo.

Se o pior acontecer, ja vais estar um passo à frente.

Foto por: Christine Schmitt Flickr via Compfight cc